O diálogo aberto e sem tabus sobre o adoecimento metal dos trabalhadores e trabalhadoras de TI é um tema que já foi abordado várias vezes pelo nosso Comitê de Base, inclusive sendo tema de um dos nossos encontros no ano passado. Neste momento de isolamento social, onde é claro o risco do surgimento e agravamentos desses males psicológicos, é necessário retomar esta discussão. Cobranças excessivas, inúmeras demandas, pressões de prazos curtos, horas extras (geralmente não remuneradas), desvio e acúmulo de funções, etc, têm contribuído para desenvolver quadros de ansiedade, esgotamento mental (burnout) e depressão em nossa categoria. Nesse período onde a permanência em casa é fundamental, nós que seguimos desempenhando nosso trabalho de dentro dos nossos lares precisamos de atenção redobrada aos sintomas do adoecimento mental e de como as práticas adotadas pelas empresas têm contribuído para isso.

Em nosso ambiente, onde dizem prezar pela colaboração mas as cobranças e exigências são cada vez mais internalizadas pelo trabalhador, saber delimitar o que é trabalho (tempo, obrigação, dedicação) do que é vida pessoal é fundamental para uma boa saúde mental. Trabalhando em casa fica ainda mais difícil fazer essa separação. Por isso compilamos algumas dicas que podem ajudar nesse período:

  • O seu ambiente pessoal não é o ambiente de trabalho e o momento que vivemos não é de normalidade. Não exija de si a mesma produtividade ou facilidade na resolução das tarefas enquanto o mundo ao nosso redor derrete.
  • Estabeleça uma rotina: troque de roupa, comece e pare de trabalhar em horários definidos. Respeite seus horários de pausas, não sobreponha as tarefas do trabalho ao horário de almoço.
  • Caso haja outras pessoas em quarentena na sua residência, combine horários e ambientes, respeitando o espaço um do outro.
  • Cobre pausas em reuniões muito extensas e fique atento aos horários.
  • Sugira que todos abram suas câmeras durante as reuniões, humanize o contato com seus colegas!
  • Trabalho domiciliar não é teletrabalho. Se não seu contrato não foi mudado para o regime de teletrabalho, você continua tendo horário de início e fim da jornada e seus chefes devem respeitar a entrada e saída do seu ponto.
  • Use seu tempo livre para descansar, se divertir e ler Lênin.
  • Fique em casa, beba água, conheça a Unidade Classista e ajude a construir um mundo onde a vida venha à frente do lucro!